Google
Pesquisa personalizada
Política de Privacidade   Visitantes: 368151

Tempos difíceis para toda Europa

 

        Nós ficávamos admirados quando a irmã contava as coisas lá do campo de concentração e dizia que o Padre José Kentenich rezava uma oração pedindo pela família de Schöenstatt. Nós tínhamos oportunidade de ler nos livros aquela oração, que dizia assim:

 

        Querida Mãe e Rainha Três Vezes Admirável de Schöenstatt, olha os meus, cuida dos meus, todos aqueles que eu te confio, eu os vejo solitários andando seus caminhos, só posso continuar o meu caminho confiando em ti. Faze que estas ondas, tempestades e agitações do tempo não se encapelem cada vez mais. Aniquila as mentiras e o poder do demônio. Aniquila os poderes infernais e todos os enganos que vêm daí, retira de meus filhos a maldição de Eva, faze que neles se calem esses instintos maus e doentios, faze que todo o seu ser se curve e se incline perante Deus, que seus corações sejam um braseiro ardente de amor e se consagrem inteiramente ao Pai, só a Ele será dado todo ardor! Faze com que meus filhos rejeitem de si todo amor que pudesse murchar sua coroa virginal, que façam contigo uma aliança de amor, que seja como ferro fundido, então eu sei que eles estão num certo abrigo. Por isso, aos que amo, inscrevo em teu coração com sangue e fogo e assim a minha vida eu sigo sem temor, e a minha vida eu a ofereço ao Deus Trino e Criador. Amém.

 

        Nos encontros da Obra das Famílias em Atibaia, eu também tive uma inspiração de fazer uma oração pela minha família, que é a seguinte:

 

        "Querida Mãe de Deus, tu és nossa Mãe, nossa Rainha e nossa Educadora na fé, nós pedimos tua bênção e tua proteção para este dia, abençoa toda nossa família, ajuda-nos a viver na graça e no amor do Pai. Mãe, nós te pedimos a graça do abrigo espiritual, a graça da transformação interior e a graça da fecundidade apostólica, transforma o nosso coração à imagem de teu Divino Filho, desenvolve e opera em nós a graça do apostolado que recebemos no santo batismo. Mãe, tu estavas aos pés da Cruz, como Mãe das Dores quando teu Filho Jesus agonizando disse olhando para o discípulo que ele amava: "filho, eis ai tua Mãe"; e fixando os olhos em ti disse "Mulher, eis aí teu filho" (Jo 19, 26-27); nesse momento e na suprema agonia da morte, o discípulo João estava representando toda humanidade e também nesse momento sagrado foi que teu Filho Jesus colocou sob tua proteção todos nós que somos teus filhos. Mãe, foi nesse momento também que tu assumistes o compromisso de nutrir continuamente a vida divina em nós. E pela aliança de amor tu queres educar-nos para sermos homens novos, na nova Comunidade de Schöenstatt e vivermos com alegria os compromissos de nossa aliança batismal e tornar-nos autênticos cristãos, verdadeiros filhos de Deus, vivas imagens tuas e de teu Divino Filho.

 

        Ainda complementando essa oração eu rezo:

 

Ó CHEIA DE GRAÇA (Lc 1,28)

 

        Flor sempre viçosa, sol sem nuvens, mais bela que a estrela da manhã, radiosa madrugada, que nos dás o verdadeiro Sol.

        Sem mancha, sem pecado, toda pura e imaculada, sem a semente da serpente original, que nos dás o Santo e o Justo.

        Filha dileta de Deus Pai, maravilha por Ele criada, predileta no dom, no apelo, na vocação, que és modelo do amor formoso e dedicado.

        Escolhida para Mãe de Deus Filho, cujo seio trouxe o Verbo divino, cujas entranhas esconderam o Rei da glória, e nô-Lo deste no presépio de Belém.

        Esposa virginal do Divino Espírito Santo, unida em matrimônio místico à sabedoria divina, àquele que renova a face da Terra e tudo fecunda pelo seu amor.

(Lc 1,35)

 

        Ditosa e bem-aventurada por todas as gerações, porque foste humilde e pobre, serva fiel, coração despojado no mistério do teu ser desprendido e simples.

(Lc 1, 48-49)

 

        Senhora da esperança que não morre, audaz e serena junto à cruz, onde a vítima é teu Filho, repleta da fortaleza dos mártires, sofrendo a espada de dor.

(Lc 2, 34-35)

 

        Porque a Palavra se fez carne em ti, porque deste à luz o Pão vivo descido do céu, porque na Eucaristia temos o fruto bendito do teu ventre sagrado.

 


Próxima página >>>

Oração do Rosário

Sumário