Google
Pesquisa personalizada
Política de Privacidade   Visitantes: 349869

UMA MULHER NO PLANO DIVINO
Padre Irineu Trevisan
MÊS DE MAIO – MÊS DE MARIA

Maio não rima com Maria, literalmente. Mas é um verso branco, porque é o mês que se comemora, com todas as honras religiosas, aquela que foi escolhida para Mãe de Jesus Cristo e, consequentemente Mãe de todos os católicos. Ela é tão especial  na vida da Igreja e dos católicos que lhe foi dedicado um mês, pois é o mês em que muitos católicos oferecem muitos terços, consagrações e também Ela é coroada no final do mês de Maio como Rainha de toda a humanidade.

É importante festejar o mês de Maria, quanto é importante cultivar em nosso coração o amor à nossa Mãe Maria Santíssima, pela posição que o Pai Eterno lhe conferiu em toda a Obra da Redenção. Posição esta que a Igreja, através do Magistério oficial, dos Papas, dos santos, dos mariólogos, dos exegetas, foi definindo, mais e mais, pelos dogmas marianos, títulos, privilégios, outorgados a Maria. Alguns desses títulos são: Mãe de Deus, Mãe da Igreja, Mãe da Humanidade, Rainha, Medianeira, Co-Redentora, Imaculada, e, muitos outros títulos.

Muitas pessoas ilustres, como Papas, sacerdotes, bispos, santos estão convencidos de que o amor à Maria Santíssima, quando for correto e sadiamente cultivado, constitui um expediente pastoral de excelente eficácia para atrair e transformar os fiéis, para preservá-los dos perigos, fazê-los crescer numa fé amadurecida e ardente, leva-los à pratica dos sacramentos, transformá-los em apóstolos valiosos na construção do Reino de Cristo.

Corroboram esta afirmação  muitos santos, Papas, a história da Igreja, a experiência de inúmeros sacerdotes. São Vicente Pallotti falou de Maria como a “Grande Missionária”, capaz de atrair e arrebatar as massas. Puebla proclama Nossa Senhora a “Pedagoga do Evangelho” e a “Estrela da Evangelização”. O Papa Paulo VI anunciou que “esta é a Hora de Maria”, isto é, o momento histórico de Ela repetir a atuação que teve em Pentecostes, atraindo, de forma veemente, o Espírito Santo. A fim de provocar um novo Pentecostes na Igreja de hoje, João Paulo II deseja que neste início do 3° milênio, se implante o “Advento de Maria”, para que Ela, à semelhança das Bodas de Caná, antecipe a “hora de Jesus Cristo”.

À luz destas reflexões, tem valor e vale a pena vivermos, com piedade e entusiasmo, o mês de maio como o Mês de Maria.

CATEQUESE INFORMATIVA – JOSÉ ORQUIZA

Voltar