Google
Pesquisa personalizada
Política de Privacidade   Visitantes: 350001

S A N T I D A D E
AMIZADE COM DEUS

        A santidade tem dois sentidos ou seja dois aspectos: um moral e outro ontológico.

        O aspecto moral é a conformidade das ações do homem com a vontade de Deus; por isso dizemos que quem obedece a vontade de Deus é santo.

        A santidade ontológica porém, é uma semelhança com Deus não em ação mas em ser.

        Certa vez eu li um artigo no L'Osservatore Romano, onde o Santo Padre o Papa João Paulo II falava sobre o Sacerdote católico. Nesse artigo, o Santo Padre dizia que o Sacerdote quando celebra os mistérios divinos, ele tem em mente o homem criado por Deus à sua imagem e semelhança; o homem a quem Deus confiou a terra para que a domine; (no bom sentido... produza frutos, alimentos e vida para todos); o homem distinguido com uma multiforme riqueza de natureza e de graça; o homem decaído pelo pecado e elevado a dignidade de filho adotivo de Deus.

        No Batismo o Sacerdote diz as palavras:

        Eu te batizo em Nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo e nesse momento o batizado recebe as três Virtudes Teologais, "Fé - Esperança e Caridade". Aí podemos lembrar a resposta de Jesus Cristo ao fariseu Nicodemos, - "Eu garanto a você: se alguém não nasce do alto, não poderá ver o Reino de Deus", (Jo 3,3)

        A recepção da graça santificante faz com que a alma se pareça com Deus, que é a Suprema Santidade.

        A santidade cresce pela vida de oração, atos de virtude e recepção dos sacramentos.

        A graça segundo os teólogos, é um dom interno, gratuito e sobrenatural que pelos méritos de Jesus Cristo, Deus Pai outorga a todas as pessoas para a salvação de suas almas.

        Mas a graça assim compreendida, ainda tem dois significados ou dons:


GRAÇA SANTIFICANTE
E GRAÇA ATUAL


        A graça santificante é uma qualidade permanente que Deus dá à alma, que a conservará sempre, desde que não a destrua pelo pecado mortal. Este dom de Deus, transforma a alma e a eleva a um plano sobrenatural, de tal modo que o homem em estado de graça:

a) - É santo e agradável a Deus (Hebr 12,28);

        "Já que recebemos um reino inabalável, conservemos bem essa graça. Por meio dela, sirvamos a Deus de tal modo que o agrademos, isto é, com respeito e temor".

b) - É filho adotivo de Deus (Rom 8,14-17);

        "Todos os que são guiados pelo Espírito de Deus são filhos de Deus. E vocês não receberam um Espírito de escravos para recair no medo, mas receberam um Espírito de filhos adotivos, por meio do qual chamamos; Abba! Pai! O próprio Espírito assegura ao nosso espírito que somos filhos de Deus. E se somos filhos, somos também herdeiros; herdeiros de Deus, herdeiros junto com Jesus Cristo, uma vez que, tendo participado de seus sofrimentos, também participaremos de sua glória

c) - A fé é o nascimento para a vida nova (Jo 3,1-3)

        Entre os fariseus havia um homem chamado Nicodemos. Era um judeu importante. Ele foi encontrar-se de noite com Jesus, e disse: "Rabi, sabemos que tu és um Mestre vindo da parte de Deus. Realmente, ninguém pode realizar os sinais que tu fazes, se Deus não está com ele". Jesus respondeu:

        Eu garanto a você: se alguém não nasce do alto, não poderá ver o Reino de Deus".

d) - É templo do Espírito Santo (Jo 14-23);

        Jesus respondeu: "Se alguém me ama, guarda a minha palavra, e meu Pai o amará. Eu e meu Pai viremos a ele e faremos nele nossa morada".

        (1 Cor 6,16) - Que há de comum entre o templo de Deus e os ídolos? Ora, nós somos o templo do Deus vivo, como disse o próprio Deus: "Habitarei no meio deles, e com eles caminharei. Serei o seu Deus, e eles serão o meu povo".

e) tem direito a entrar no céu (no reino de Deus).

        A graça santificante é uma nova vida dada por Deus à alma. Uma vez que esta nova vida é uma participação criada da vida de Deus, pode-se dizer que com a graça santificante a alma participa da natureza divina ( 2 Pedr 1,1-4).

        "Simão Pedro, servo e apóstolo de Jesus Cristo, aos que receberam, pela justiça de nosso Deus e Salvador Jesus Cristo, uma fé preciosa como a nossa. Que haja abundância de graça e paz, mediante o conhecimento de Deus e de Jesus Cristo nosso Senhor. Com seu divino poder, Deus nos concedeu todas as condições necessárias para a vida e a piedade, através do conhecimento de Jesus Cristo que nos chamou por sua própria glória e virtude. Por meio delas é que ele nos deu os bens extraordinários e preciosos que tinham sido prometidos, e com esses vocês se tornassem participantes da natureza divina, depois de escaparem da corrupção que o egoísmo provoca neste mundo.

        Graça atual - É um dom transitório dado a alma, é uma luz para a mente ou força para a vontade a fim de que faça o bem e evite o pecado.

        A graça atual não é um dom permanente como a graça santificante; é um impulso divino que ajuda cada um a fazer ações acima de suas forças naturais:

  • uma boa mãe, um lar cristão, o conselho de um confessor, ou um bom livro, são também chamados graças atuais, no sentido de que sob a providência de Deus, ocasionam boas ações.

        Exemplo:

        Posso citar o exemplo de minha mãe, uma pessoa de pouca instrução, criada no meio rural, (mãe de 10 filhos) 7 homens e 3 mulheres, principalmente nós homens, que tínhamos de procurar mercado de trabalho fora do convívio familiar, do interior do Estado, tínhamos que ir trabalhar na capital em São Paulo. A mãe sempre dizia: "meus filhos, quem mal anda, mal acaba e quem faz o bem para os outros nunca se arrepende".

        Também os dons do Espírito Santo, são chamados graça, esses dons devem ser pedidos diariamente.

        O Dom da Sabedoria - Nós precisamos dar mais valor as coisas do alto, aos valores eternos e nunca nos deixarmos levar pelas vaidades deste mundo.

        O Dom da Inteligência ou Entendimento - Para que iluminados sempre pela graça divina, possamos entender bem as verdades da salvação e a doutrina da Igreja Católica.

        O Dom do Bom Conselho - Tão necessário nos passos de nossa vida, a fim de acolher sempre a vontade de Deus e os ensinamentos do Santo Evangelho.

        O Dom da Fortaleza - Para que entendamos cada vez mais que somos todos irmãos, filhos de Deus Pai e portanto somos todos iguais, para que evitemos a vida pecaminosa, suportemos com paciência todas as provações deste mundo.

        O Dom da Ciência - Para que conheçamos nossas limitações e fraquezas, estimemos os valores eternos para evitar o mal.

        O Dom da Piedade - Para que tenhamos uma profunda vida de oração, sejamos amigos de Deus Trino, amigos de Nossa Senhora, amigos dos Anjos e Santos do Céu.

        O Dom do Santo Temor de Deus - Para que lembrados de sua presença, procuremos agir de tal modo, para que tudo em nós seja agradável a Deus.

        Rezemos sempre ao Divino Espírito Santo, para que Ele nos dê luz para conhecermos nossos defeitos e nossos pecados, e a graça eficaz para nos arrepender e emendar deles. Derrame sobre nós a plenitude de seu amor, una os nossos espíritos na verdade e nossos corações no amor, complete e aperfeiçoe em nós a graça da filiação divina.

        Devemos lembrar que a desigualdade da graça depende da bondade de Deus e das diferentes disposições e da cooperação de cada um. É doutrina católica, que o bom Deus quer a salvação de todos e dá a graça suficiente para isso.

JOSÉ ORQUIZA
Pesquisar é crescer na sabedoria!

Voltar